Black Friday 2020: as principais tendências

Marketing Digital
Vizualizados por 137 pessoas

Apesar da pandemia atual, a Black Friday 2020 promete ser uma das maiores edições de todos os anos.

Este ano, a expectativa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) é que o faturamento da Black Friday chegue a R$3,45 bilhões, o que representa um aumento de 18% comparado a 2019.

O Google encomendou uma pesquisa, que foi realizada em todas as regiões do Brasil e nós, da Flow Digital, trouxemos quais são as principais tendências pra você se adiantar e preparar sua estratégia.

Mudanças nos hábitos de compra

A Covid-19 acelerou muitos hábitos e comportamentos de compra, como a alta no setor de delivery e Apps de comida, que eram tendência, mas não eram previstos para ter um boom nesse ano.

Muitos consumidores perderam o emprego, reduzindo o poder de compra e por outro lado, muitos consumidores fizeram a primeira compra online durante a pandemia e pretendem comprar cada vez mais.

E para continuar em atividade e se adaptarem a esse novo comportamento do consumidor, muitas empresas partiram para o digital durante esse ano e, assim, a concorrência ficou mais acirrada.

De acordo com a ABComm, somente entre 23 de março e 31 de maio, foram criadas 107 mil novos e-commerces no país.

Intenção de compra por setor

As 10 categorias com maior intenção de compra declaradas na pesquisa do Google foram:

Celulares (38%)

Eletrodomésticos (30%)

Informática (28%)

Roupas Femininas (28%)

TV (26%)

Roupas (24%)

Eletroportáteis (24%)

Perfumes (24%)

Tênis (22%)

E Móveis (22%).

Passagens, pacotes de internet, serviços financeiros e games se destacam por ter grande intenção de compra através da internet e alimentos e bebidas, veículos e moda terão maior relevância no off-line.

BOOM nas compras digitais

A maior tendência para a Black Friday 2020 são as compras online.

Esse ano é a primeira vez na história que as compras em canais digitais serão maiores do que as compras feitas em loja física. Cerca de 40% dos consumidores irão comprar exclusivamente no digital. Isso representa um aumento de 7% em relação a 2019.

Só no primeiro semestre de 2020, foram identificados 7,3 milhões de novos consumidores de e-commerce. Um crescimento de 38% em relação ao ano passado.

Outra novidade é que quem já estava acostumado a comprar online, está cada vez mais disposto e aberto a comprar com mais frequência novos tipos de produtos, novas marcas e em novas lojas.

Aplicativos

Os aplicativos de varejistas têm entrado com tudo e estão sendo cada vez mais importantes dentro da jornada de compra.

70% dos consumidores já possuem o aplicativo da loja preferida no seu smartphone e 8 em cada 10 declaram que o usam como fonte de consulta e 64% também concluem as compras nos Apps, além de fazer consultas.

Entre os que vão comprar online na Black Friday, 59% pretende comprar via aplicativos.

Consumidor mais exigente

Devido à pandemia e à alta no meio digital, o consumidor está mais consciente de suas prioridades e mais planejado antes de fazer uma compra.

A tendência é que a Black Friday de 2020 seja menos sobre comprar somente o que está com um superdesconto e mais sobre fazer bons negócios e isso vai apertar as empresas a buscarem soluções diferentes, além do preço baixo.

Queda nas vendas mobile

Em 2019, o mobile foi responsável por 52% do faturamento da Black Friday no país. E ao que tudo indica, este ano será bem diferente.

Com muita gente trabalhando em home office e a facilidade de ter acesso ao computador em casa, a tendência é que a maioria das compras sejam feitas por um desktop.

Isso é um alerta, porque muitos empresários estão investindo em criação de apps e usabilidade no mobile e pela pesquisa do Google, isso não vai ter um grande impacto na Black Friday de 2020.

Frete grátis

O consumidor está mais preocupado com tempo e custo da entrega e em julho deste ano, a procura por frete grátis no Google foi 118% maior do que a busca pelo tema no mês da Black Friday de 2019.

O termo “frete expresso” também ganhou importância e pagar pouco ou nada nas compras esse ano, será de grande valor pro novo consumidor.

Descontos

Na hora de comprar um produto, o valor da mercadoria sempre fala mais alto.

De acordo com a pesquisa, cupons de desconto e cashback farão a diferença na decisão do cliente esse ano e a busca por promoções cresceu 38% em comparação com o ano passado.

Isso pode ser justificado pela grande taxa de desemprego gerada pela pandemia e pela queda no poder de compra dos brasileiros, que estão buscando mais economia.

Google Shopping gratuito na Black Friday

O Google também anunciou que o Google Shopping estará disponível gratuitamente a partir da segunda quinzena de outubro no Brasil.

Com isso, as lojas online de todos os tamanhos poderão se conectar com milhões de brasileiros que usam o Google todos os dias para encontrar produtos, sem custo e independente de anunciarem ou não no Google.

 

 

Com essas tendências, já dá pra se adiantar e colocar todos os reforços nos lugares certos e definir bem suas estratégias para esse dia, que é comprovadamente a melhor sexta-feira para vendas do ano.

Black Friday no varejo: dicas para aumentar as vendas
LGPD: 4 perguntas e respostas sobre a nova lei

Sua opinião é importante pra gente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu